GUIA ANTIPIRATARIA

Fabricantes apontam as características técnicas das embalagens, falam sobre os programas de denúncias e indicam as distribuidoras autorizadas .

20 | dezembro

A falsificação no setor de abastecimento de impressão tem um impacto global de US$ 3 milhões de dólares anuais. Para se ter uma ideia da gravidade do problema gerado pela pirataria, segundo dados do Fórum Nacional Contra a Pirataria, de dezembro de 2010 a junho de 2012, somente na cidade de São Paulo foram apreendidos 60 milhões de produtos falsificados. Considerando os impostos que foram sonegados na comercialização destes itens, cerca de R$ 600 milhões deixaram de ser recolhidos pelo governo – com este valor, seria possível construir 300 creches para 60 mil crianças.

A pirataria de cartuchos de toner e tinta tem dinâmica similar à da falsificação de remédios, uma vez que os consumidores pagam preços de produto original ou muito próximos a isso, enquanto levam um produto remanufaturado em condições precárias, afetando os consumidores, os canais revendedores e a imagem das marcas.

Para ajudar revendedores e consumidores a coibir esta prática, o Portal Lyderis traz um guia antipirataria com dicas das fabricantes para distinguir um produto original de um produto falsificado. Também reunimos os canais pelos quais você, consumidor ou lojista, pode fazer denúncias.
Confira:

Epson

Para garantir a procedência dos cartuchos Epson, as embalagens contêm dois selos: Color Shifting Star Epson, um selo holográfico que muda de cor (verde / bronze) e o selo América Latina 3D, o único com número de série. As fitas matriciais vem com o selo América Latina 3D.

Segundo Daniela Alonso, especialista de produtos Epson, nos últimos cinco anos a empresa não registrou nenhuma ocorrência de falsificação de cartuchos. “Esporadicamente ainda encontramos falsificação de fitas matriciais. Por isso, vale destacar que o que diferencia o original do falsificado é justamente o selo América Latina 3D”.

Caso um varejista ou cliente desconfie da autenticidade do cartucho, a Epson dispõe de uma equipe técnica que verifica a veracidade do produto e emite laudo técnico. Basta o consumidor, órgão público, revenda, distribuidor ou varejista entrar em contato com a área de atendimento no 0800 880 0094.

Rede de distribuidores oficiais da fabricante: Agis, All Nations, Braile, Cil Nagem, Fabesul, Golden, Inforshop, Ingram, Officer, Pauta, Port, Reval e Staples.

HP

Na HP, a política de antipirataria começa já no processo de compra. A fabricante aponta que é fundamental

buscar cotações com canais oficiais HP e atentar para alguns indícios de potenciais problemas de fornecimento, como preços muito abaixo do mercado, vendedores que não fornecem contatos completos, emails genéricos, ofertas de “lotes especiais arrematados” e prazos longos de entrega. No recebimento, a revenda deve atentar para a violação e/ou acabamento inferior da embalagem, utilizar as características dos selos de segurança e a autenticação eletrônica (pelo leitor de QR no celular ou pela internet) para validar as unidades recebidas. Para saber mais sobre a autenticação eletrônica, visite o site www.hp.com.br/antipirataria.

Segundo a fabricante, a falsificação afeta todos os cartuchos de tinta e toner, e muitas vezes é feita sob encomenda em função de um negócio fechado. Pelo valor agregado, suprimentos de impressão são produtos visados.

A HP tem um programa antipirataria que trata tanto da prevenção quanto da repressão dessa prática danosa. Para aprender como usar o selo de segurança e a autenticação eletrônica do cartucho, vistewww.hp.com.br/antipirataria. No mesmo site, o cliente ou canal pode fazer denúncias sobre fornecedores suspeitos, ainda que de forma anônima. Todas as denúncias são apuradas pela equipe de investigação, que trabalha em conjunto com a polícia.

Os distribuidores oficiais da HP podem ser encontrados em www.hp.com.br/ondecomprar.

Lexmark

A Lexmark, que tem como um dos principais alvos dos falsificadores os cartuchos de toner para impressoras a laser, conta com o LexProtect, um programa de Proteção da Marca que, por meio do número 0800 702-5352, recebe denúncias e solicitações de análises técnicas de produtos. “O LexProtect recebe denúncias que, na maioria dos casos, resultam em inspeção técnica de produtos sobre os quais recaem alguma suspeita. Em média, são recebidas 30 denúncias por mês e de diferentes regiões do país”, revela José Fernando Farinas, diretor de suprimentos da empresa.

A fabricante ainda disponibiliza uma ferramenta bem eficiente para auxiliar na identificação de seus suprimentos originais. Trata-se do selo de segurança aplicado em todas as embalagens externas dos produtos, selo este que possui a característica ótica de alteração de cor, do branco para o azul, conforme o ângulo do selo. Se esta alteração não ocorrer de forma muito evidente, existe a possibilidade do produto ser falso.

Também é possível identificar a autenticidade dos cartuchos por meio do aplicativo gratuito Lexmark ID. Basta fazer o download para Android, Apple ou BlackBerry. Depois de instalado, o usuário deve escanear o código de barras da caixa ou do cartucho da Lexmark. O aplicativo imediatamente envia o número de série digitalizado para o banco de dados, onde será instantaneamente verificado. Os clientes que não utilizam smartphones ou tablets podem acessar http://www.Lexmark.com/identify e digitar o número de série do cartucho para realizar a verificação.

OKI

Existem várias formas para identificar a originalidade e procedência de um suprimento. A OKI conta com um manual desenvolvido especialmente para ajudar a revenda a identificar visualmente estes pontos, garantindo assim a satisfação do cliente. “Para garantir que o produto original irá chegar ao consumidor, nós contamos com os revendedores que são os nossos olhos no ponto do processo”, afirma Marcio Marquese, gerente de marketing da OKI.

De acordo com Marquese, os suprimentos com maior índice de falsificação são os dos equipamentos de maior giro no mercado, entre os modelos pirateados pode-se mencionar as impressoras ML320T, B410d/dn, B430dn, C3400n, C5650n, além dos multifuncionais MB460, MB480 e MC360.

A OKI possui o Programa de Proteção ao Cliente, que recebe denúncias e solicitações de investigação, e oferece apoio aos clientes no caso de aquisição de produtos adulterados. A equipe realiza análise de originalidade e emite laudos técnicos para atestar os produtos. “O cliente deve entrar em contato por telefone com nossa Central de Atendimento do programa para notificar o caso. Em seguida endereçar o produto para nossa Caixa Postal, sem custos de postagem, para que possamos analisar e emitir o laudo técnico”, explica o executivo.

Para denunciar possíveis fraudes entre em contato com a OKI.

Central Atendimento ao Programa de Proteção ao Cliente
(11) 3040-0183– Grande São Paulo
0800 115577 – Demais localidades
Caixa Postal 19.163 – CEP 04505-970, São Paulo/SP

Os distribuidores oficiais da fabricante na linha de suprimentos são: Cogra, Reis Office, Ingram, Inforshop, Staples, Golden, Multiservice, RT Informática e Port.

Samsung

Identificar uma embalagem falsa de uma original nem sempre é uma tarefa fácil, mas existem detalhes que podem ajudar o consumidor. Os cartuchos originais de toner Samsung, por exemplo, são sempre enviados com um rótulo de segurança intacto e em relevo, com um recurso de mudança de cor de 60 graus. “É possível verificar um rótulo de segurança original de forma rápida e eficaz usando o dedo para sentir o nome “Samsung” em relevo. A mudança de cor também deve ser observada, já que a cor de base do rótulo muda de branco para azul/ciano e o texto “Samsung” muda de cinza/ciano para dourado. Se a alteração de cor não estiver evidente, o item é falso”, afirma Gerlinde Lesk, gerente de produtos consumíveis – impressoras e multifuncionais da Samsung.

Outros pontos que precisam ser notados são: o número de série unitário, o código de barras e as embalagens que nunca são enviadas sem marca ou em tons de marrons simples. Vale ressaltar também que a Samsung vende apenas cartuchos de reposição novos de desempenhos superior, ou seja, os cartuchos nunca são remanufaturados, recondicionados ou recarregados.

Caso o consumidor identifique um cartucho falso basta ligar para a Central de Atendimento à falsificação de cartuchos Samsung, no telefone 866-332-4160, ou entrar site www.samsung.com.br/toners.

Atualmente a Samsung conta com uma rede de distribuidores oficiais que atendem às revendas, que se encontram na página www.programacanalazul.com.br/distribuidores.

Xerox

As embalagens dizem muito sobre a procedência do produto. A Xerox aconselha a verificação da embalagem, identificando se existem diferentes tipos de letras, erros de impressão, de ortografia, letras de cores diferentes, vazamento de toner, caixas sujas ou com aparência de que já foram usadas, falta de uma ou duas das etiquetas de segurança, ou etiquetas de segurança com números diferentes uma da outra.

Todos os produtos da Xerox possuem duas etiquetas com tamanho aproximado de um telefone celular, com tom avermelhado e o logotipo da companhia. Nas caixas de suprimentos, há uma etiqueta holográfica com o nome e o logo da Xerox.

Para casos de suspeita de pirataria de cartuchos, a Xerox disponibiliza o e-mail security.office@xerox.com e o telefone 0800-979-1099

Fonte: Portal Lyderis